Sim, você leu certo. O título é esse aí mesmo.

Nesses últimos dias, eu que sou rata de Youtube tenho visto muitos canais sobre gordofobia, gente gorda, amor-próprio, auto-estima.

Foi até assustador perceber o quanto estamos sempre aprendendo né?

Tanta gente nesse mundo, tanta gente de todas as cores, formatos, alturas e somos todos humanos. Então achei bacana divulgar 3 canais que mais assisti aqui e com os quais tenho aprendido muito.

Nós somos suficientes!

O post de hoje vai ser curtinho mas se você tiver a chance de ver algum desses vídeos das meninas tenho certeza que vai aprender muito

https://www.youtube.com/channel/UC2LQ5jMieMZjb5k5Gprp2JQ -> Alexandrismos

https://www.youtube.com/channel/UCVEVuanoMK9tGclfWLghaKw -> Tá querida

https://www.youtube.com/channel/UClCrqmyQkVlQO9SJA3MZ0kA -> Barbara Cavalcante

Vale a pena mesmo!

Vem conferir esses também!

Hoje venho aqui falar dessa família que sempre produz novos conteúdos para tudo que é tipo de site de notícias de entretenimento.

Não vou contar a história delas inteira pelo simples fato da família ser enorme e elas estarem na mídia há anos. É literalmente impossível to keep up with them.

Mas se você mora no planeta Terra você já ouviu falar de Kim Kardashian, Kylie Jenner, Caitlyn Jenner e todos os outros. Ontem, dia 18 de abril de 2017 estreou a nova temporada de “Keeping up with the Kardashians” no E!

Lógico que eu e Thaise assistimos e comentamos durante o episódio inteiro tudo. O foco do episódio foram as lojas Dash que as irmãs Kardashians possuem em Miami, Los Angeles e NY. Elas começaram a trabalhar com essas lojas, foi o primeiro grande projeto delas se não me engano. Khloe e Kim K querem vender as lojas para uma loja de departamento já que elas não tem mais tempo de cuidar e dar a atenção necessária, porém Kourtney não quer vender de jeito nenhum por motivos sentimentais mesmo. Não sei que fim levou isso, mas gerou bastante discussão entre as irmãs.

Tivemos também Khloe cada segundo com um cabelo diferente, chegava a dar nervoso. Tipo, a gente sabe que você usa aplique mas cada frame ela era uma nova pessoa.

No próximo episódio vai ser mostrado o que rolou em Paris quando entraram no quarto da Kim e colocaram uma arma na cabeça dela, o que deve ter sido assustador com certeza. Saiu em tudo que é site mas no episódio será contado pela própria Kim K.

Com certeza essa temporada vai bombar, assim como todas e as Kardashians continuarão sendo as rainhas do E!

E você? Gosta do reality? Ama odiar? Odeia amar?

Ficou curioso? Terça que vem, 23h no E!

Vem conferir esses também!

    O que falar de 13 Reasons Why, nova série original da Netflix baseada no livro “Os 13 porquês”? A série tem Selena Gomez como produtora executiva, e se você está se perguntando se vale a pena assistir, a resposta é SIM!

    Diferentemente de Stranger Things, que eu achei ok, e só teve aquela hype toda, grande parte por causa da brilhante jogada de marketing da Netflix, 13 Reasons é, provavelmente, o melhor lançamento do ano da plataforma. Além de muito bem produzida e dirigida, a série que, aparentemente parece ser um drama teen, fala sobre temas sérios e atuais que precisam ser abordados, como bullying, abuso sexual, machismo, sexismo, violência sexual, homofobia, entre outros..

    Sem dar muitos spoilers, 13 Reasons conta a história de Hannah Baker (Katherine Langford), uma adolescente que decide tirar a própria vida. Porém, antes disso, ela grava 13 fitas, cada uma sobre as pessoas que de alguma forma colaboraram para que ela chegasse ao ponto de cometer suicídio. A série é contada sob o ponto de vista de Clay Jensen (Dylan Minnette), amigo de Hannah. A estrutura de cada episódio uma fita é bom, causa aquele suspense, porque você sempre quer saber o que acontece na próxima fita. E também dá uma certa agonia, porque você começa a se perguntar: “Por que ele não escuta tudo logo de uma vez??!”. E mais, por que o Clay é um dos porquês se ele é um cara tão bonzinho e bacana??

    No desenrolar da história, é interessante ver a evolução do Clay, um menino tímido, caladão, que vai tentando fazer justiça pelas coisas que aconteceram com a Hannah, por quem ele era apaixonado. Ao mesmo tempo, podemos ver porque Hannah toma sua drástica decisão. O jogo entre passado e presente com os flashbacks é muito bem feito. Para quem fica perdido em How to Get Away With Murder, como eu, isso não acontece em 13 Reasons.

    Enfim, Os 13 porquês é uma daquelas séries que te prende desde o primeiro episódio. Eu amei demais. Achei que eles abordaram todos os temas polêmicos muito bem. É uma história extremamente tocante e comovente que, além de entreter, nos faz refletir sobre o modo com o qual tratamos as pessoas. E também mandam um alerta para todas as pessoas que possam vir a se identificar com a protagonista de que sim, existe outra saída. Procure aconselhamento, ajuda de amigos, família… o suicídio nunca será sua melhor ou única escolha.

    Então, se você ainda não viu, corre!! Vale a pena!

    Então… esse fim de semana assisti pelo Netflix a peça do Felipe Neto “Minha vida não faz sentido”. Primeira coisa, se você não sabe quem é Felipe Neto vou tentar resumir. Felipe é um Youtuber que já está bombando nas redes sociais há um tempo, desde 2010 se não me engano. Eu confesso que comecei a acompanhar o canal dele no final do ano passado. Peguei bem o momento em que ele começou a produzir conteúdo todo dia. Sim, ele posta todo dia vídeo novo no canal, sendo que ele não é vlogger.

    Ele está caminhando pros 10 milhões de seguidores e tem um papel importante no dia-a-dia da garotada. O investimento que ele faz para o canal é bem bacana. E o resultado está aí….

    Só que todo mundo começa de algum lugar, não é mesmo? E com Felipe não foi diferente. Ele começou no canal como um personagem que usava óculos escuros e reclamava de um bando de coisa, desde banda colorida a Crepúsculo. E ficou muito conhecido como esse personagem nesse quadro chamado “Não faz sentido”.

    Mas ele hoje em dia foge completamente desse personagem. Ele vem tentando mudar em relação a ter “tretas” com pessoas, ele evita fazer vídeos falando mal de alguém. E com isso ele está alcançando um outro público. Até hoje as pessoas falam em Felipe Neto e pensam “ah, aquele cara que fala mal das pessoas”, e ele quer mudar isso. Inclusive, ele fez um quadro no canal dele chamado “Convertendo haters”, onde as corujas, suas fãs, devem convencer alguém que odeia Felipe Neto a se inscrever no canal dele.

    Mas vamos ao ponto. A Netflix lançou a peça dele, com a qual ele fez turnê pelo Brasil. Como ele mesmo diz não é um stand-up. É o Felipe e o seu personagem explicando sobre sua vida, contando seu percurso até chegar onde está. Tem momentos muito divertidos onde ele interage com a platéia, e quando ele conta a história na versão Felipe e depois na versão Não faz sentido.

    Ele fala como que não tinha dinheiro pra nada mas conseguiu juntar pra comprar uma câmera digital, começou a gravar vídeos e a família não gostou mas ele continuou fazendo e deu uma aula sobre como não devemos deixar nada pra amanhã e fazer nossos sonhos se realizarem hoje. Eu fiquei motivada, rs

    A produção está super legal. E como o Felipe é ator ele tem bastante presença de palco, fala muito bem, o que faz ser tudo mais divertido. Com essa peça lançada ele fez um vídeo de despedida do personagem dele.

    Fica a dica pra quem quiser assistir a peça na Netflix, já está disponível.

    Até a próxima!