Olá!
Venho hoje trazer mais uma recomendação Youtubística!
Muita gente já deve conhecer esse rapaz bonito e inteligente, mas venho apresentar Frederico Elboni.

Quem me apresentou o canal dele foi minha amiga Thaise, que escreve pro blog também, e a pressão desse post é grande, pois além dela ser super fã dele, ele ainda é escritor. E sei que as chances dele ler isso são pequenas mas vai saber….. Fred, se você estiver lendo isso, um beijo grande pra você. Esse post foi feito com carinho.

Mas Nat? Sobre o que esse menino fala?

Então, o Fred fala sobre diversos assuntos como: relacionamentos, pessoas, crônicas, homens, mulheres…um monte de coisa.
Assistindo a alguns vídeos dele nesta semana escolhi alguns preferidos para postar aqui.

Esse eu assisti novamente e precisei vir postar sobre ele, porque o cara é bom. Além de muito inteligente, sinto que ele consegue passar exatamente a mensagem que ele quer passar em seus vídeos.

Nesse outro vídeo ele fala sobre uma menina que dá em cima dele e ele não quis nada com ela, e por isso ela achou que ele fosse gay. Adoro que ele problematiza esse fato de forma bem natural e didática, dizendo que não há problema algum em ser gay, em primeiro lugar. E mais, só porque ele é homem significa que ele tem que “comer todas”? Isso é maravilhoso!

O bacana do Youtube é dar a chance de pessoas como o Fred de terem um canal e poderem comunicar esse tipo de coisa para o público. Como ele mesmo fala nesse vídeo, ele já está resolvido com a sexualidade dele etc, mas muitos meninos mais novos ou meninas deixam de fazer atividades relacionadas a arte etc por medo de serem rotulados de gay etc, mas, se forem gays de fato isso não é demérito algum.

Vale a pena pensar.

Além do canal, o Fred já lançou livros também, os quais infelizmente não tive ainda a chance de comprar e ler. Mas quando acontecer farei minha crítica aqui com certeza.

A geração das autoras desse blog não teve Youtube na adolescência , e sinceramente, adoraria ter tido!
Talvez teria entrado em contato com tantas outras coisas e pessoas, além do mundinho e da bolha que vivíamos.

Fica a minha recomendação da semana: https://www.youtube.com/channel/UCoIZHt3m3j-25IS64HjQUVA

Não deixem de acompanhar o blog, e se inscrevam no canal do Fred!

Bjos e como ele mesmo diz, espero que tenham dado um sorriso ou dois.

Olá pessoal!

Bom, nesta segunda feira passada foi o dia dos namorados brasileiro. Sim, digo brasileiro porque no mundo todo esse dia é comemorado dia 14 de fevereiro, que inclusive é o meu aniversário. Sim, nasci no dia mais romântico do ano!

Mas estamos em terras brasileiras então vamos lá.
Eu por exemplo passei este dia all by myself. Literalmente. Sem namorado, sem ficante, sem peguete…pra não dizer que não peguei nada eu peguei um resfriado. Por isso não posso fazer aquele “não pego ninguém, nem resfriado”.

Brincadeiras a parte, eu to de boa. Mas sei que muita gente fica meio pra baixo com esse dia e por não ter com quem comemorar. Aí pra piorar as coisas entramos nas redes sociais e vemos todos aqueles casais lindos e maravilhosos celebrando a vida e perguntamos: o que há de errado comigo?

Eu juro que fiz essa pergunta há uns dois dias pra uma das minhas melhores amigas e ela me falou o que uma boa amiga fala né: Nat, você é linda, charmosa, simpática etc etc. Fez bem pro meu ego, claro.
A verdade é que na maioria dos dias me sinto assim, ou pelo menos me forço a me sentir maravilhosa. É bom se olhar e falar isso pra si. Não é se achar não, é se empoderar.

Mas aí acontecem algumas situações relacionadas a amores passados que mexem com a gente, porque não somos de ferro. E aí meu bem, é um pote de Nutella que vai pra dentro, um pacote de M&M. Parece clichê, mas é clichê por um motivo.

Que que eu quero dizer com isso tudo? Tem dias que vamos nos sentir divas maravilhosas e tem dias que não. E tudo bem. No dia que não to me sentindo diva maravilhosa faço o papel também. Pijama velho, meia, chinelo e chocolate. Que se dane!
Mas aí passa…aí dá vontade de malhar, de ver gente, de se arrumar e é isso aí.

Sou muito grata pelas amigas que tenho com as quais posso entrar em desespero, sofrer por aquela coisa específica ou não, e depois retomar as energias.

Fica mais uma reflexão…acho que não cabia escrever sobre batons, ou séries ou outras coisas hoje, então aproveitei o dia dos namorados pra jogar reflexão pra vocês.

Um beijo enorme
se curtam porque todo dia é nosso dia
Nat

O filme da Mulher Maravilha estreou e é tudo o que a gente esperava e mais um pouco! A heroína mais famosa do Universo DC, que teve sua primeira aparição na superprodução Batman vs Superman, ganhou seu próprio filme e deixou o homem morcego e o homem de aço no chinelo. Na minha humilde opinião, é o melhor filme da DC desde o Cavaleiro das Trevas (sorry, Superman, mas é verdade).

Acho que o filme, que também é dirigido por uma mulher, Patty Jenkins, teve ainda mais sorte por ser lançado em uma época em que o empoderamento feminino fervilha. Mas sem tirar o devido merecimento da produção, é claro. E o que falar de Gal Gadot?? Se em Bat X Sups ela já estava MARAVILHOSA – não tem como descrever essa mulher com outra palavra -, nesse filme ela está mais que incrível. Gal não tenta encarnar a Mulher Maravilha, ela simplesmente é. Girl crush total!

Sem dar spoilers, o filme conta a origem de Diana Prince/ Mulher Maravilha, e um pouco de sua história ao lado do capitão Steve Trevor (Chris Pine). O enredo é envolvente, inteligente, sério e engraçado na medida certa. E como não podia ser diferente, é um tapa na cara do machismo. Claro que o filme tem uns probleminhas de roteiro, mas nada que prejudique muito a narrativa. Só sei que saí do cinema MARAVILHADA, e ansiosa para assistir novamente. Girl Power!

E você já assistiu?!

Gal Gadot 4ever <3

Oi gente, tudo bom?
Estou nesse momento sem muita idéia do que postar, então resolvi que escreveria sobre cabelos curtos. Pelo simples fato de eu ter cortado o meu cabelo, simples assim.
Cortei meu cabelo faz mais ou menos um mês e vou confessar que nunca estive tão feliz com um corte de cabelo na minha vida rs.
Engraçado que há dez anos atrás um cabeleireiro cortou meu cabelo do mesmo tamanho que está agora e eu odiei tanto, mas tanto que usei meu cabelo preso durante MUITO tempo.
E agora você vê, fui ao salão e pedi pra ela cortar desse tamanho. Muito doido, né?
Só sei que desde que eu cortei o cabelo estou mais segura na cozinha, estou mais segura com meu estilo, me sinto muito mais bonita, muito mais poderosa e nunca fui tão elogiada na minha vida.
O que me deixa feliz é que eu queria muito ter esse cabelo e cortei e ficou um arraso. Sabe aquela sensação de que seu instinto estava certo? MARAVILHOSO.

Me inspirei no cabelo da youtuber de beleza Jaclyn Hill, e numa outra chamada CCcLARKE. Fiquei apaixonada pela forma que elas usavam o cabelo e quis fazer igual. E adorei!

Mas o que quero dizer com esse post? Me deparei com diferentes reações em relação ao meu corte de cabelo. De um homem o comentário foi “Prefiro cabelo comprido”. De amigas “não tenho coragem” . Isso me faz pensar. A gente fica com medo de fazer mudanças no corpo, no cabelo, nas unhas que seja…..mas por que?

Mulher tem que ter o cabelo que quer. É esse cabelo que vai fazer ela sentir-se mais bonita e isso contagia…contagia mesmo. Da mesma forma maquiagem e da mesma forma corpo. É sempre importante falarmos sobre essas coisas, pois exige da gente pensar, desconstruir, e quem sabe descobrir novos desejos.

O meu cabelo mais curto me deu uma confiança que eu nunca imaginei na vida. Parece bobo escrever isso aqui, mas não é. Não vamos deixar de fazer nada por medo do que os outros vão pensar. Se não machuca a você ou alguém, tá valendo.

Deixo aqui só uma reflexão mesmo. Como diz uma das minha grandes ídolas “You are enough”.

Bjos com inspiração

Nat

Olá pessoas!
Acabei de ver o vídeo que a Ashley Tisdale postou no canal dela e vim correndo escrever aqui porque fiquei muito emocionada.
Nunca falei aqui no blog mas eu era e ainda sou MUITO fã de High School Musical. Conheci o filme em 2005 por uma amiga que tinha visto nos EUA. Assim que o filme estreou aqui virou febre, não teve jeito. Em 2006 eles lançaram o segundo filme e me lembro perfeitamente de acompanhar todos os making of até o dia que estreou nos EUA. E só iria estrear no Brasil um século depois. Consegui ver ilegalmente e lembro como se fosse ontem o meu entusiasmo. Disney + Musical = Nat apaixonada e viciada. Em 2008 quando estreou o terceiro e último filme fui na estréia, chorei, sorri, cantei….olha….tenho muitas memórias maravilhosas por causa desse filme. Sem falar que em 2007 eu fui ao show em SP. Sim, óbvio que eu fui! E foi um dos melhores dias da minha vida.

Contei todo o processo do meu vício com HSM e agora posso falar do vídeo que Ashley postou finalmente. Se você vive em outro planeta talvez não saiba que ela interpretou Sharpay Evans junto com meu amor Lucas Grabeel, que interpretava seu irmão gêmeo Ryan. No primeiro filme eles cantam a música “What Ive been looking for” numa audição e tinha toda uma rotina de dança e tal. No show eles cantavam a música também fazendo a coreografia e tudo e claro que eu sabia de cor.
No vídeo de agora o arranjo tá bem diferente, mas só de ver os dois juntos novamente dá um aperto no coração, um frio na barriga. Saudades dos meus 15 anos.

Pra você que não viu, deixo aqui o vídeo deles. Enjoy!

Olá leitores

Venho aqui nesse post contar um pouquinho da minha experiência com a série “My Mad Fat Diary”. No último post que escrevi falei sobre canais do Youtube que comentam sobre gordofobia, sobre auto-estima, sobre amor próprio etc e fiquei sabendo da existência dessa série através desses canais.

Algumas Youtubers comentavam como falta representatividade pras pessoas gordas, e que talvez essa fosse a única série que não coloca a personagem gorda como a amiga engraçada da magra protagonista. Sabe aquela amiga gordinha, fofa, engraçada mas que só serve pra levantar a auto-estima da magra. Então…

Decidi procurar a série e achei no youtube os episódios inteiros legendados em português. Foi bem rápido de ver porque além de ser super legal, a primeira temporada tem somente seis episódios. A segunda também e acho que a terceira tem tipo três.

A história é sobre Rae, uma adolescente de 16 anos que vive em Linconshire. Ela é obesa e está numa clínica psiquiátrica pois se provou um perigo pra ela e para outros. Logo no início ela sai da clínica, volta pra casa onde mora com sua mãe e logo reencontra uma amiga de infância, Chloe, com a qual volta a se dar. Ela conhece os amigos de Chloe e a história segue por aí. É legal porque mostra inseguranças básicas de Rae com seu corpo, com sua mente, sua relação com a mãe, com crushs etc

Em algumas coisas me identifiquei com a personagem. A atriz também é maravilhosa. Dá pra achar algumas resenhas no Youtube mas eu aconselho super a ver.

Além dos problemas de Rae, a série mostra também inseguranças do grupo de amigos. Mesmo aquela menina linda tem problemas de auto-estima. Mesmo aquele menino lindo, super seguro pode ser tímido pra convidar uma menina pra sair.

Faz a gente pensar também nessa questão de representatividade. No que é bonito ou não….o que deixamos de fazer pelo medo do que os outros vão pensar. Vale muito a pena,

Vou deixar aqui o link do trailer pra dar aquela vontade de assistir

Só de assistir ao trailer me deu saudades rsrsrs.

e obs: ONTEM SAIU O TRAILER DE ORANGE IS THE NEW BLACK SEASON 5!!!!!!!!!!!!!!

Sim, você leu certo. O título é esse aí mesmo.

Nesses últimos dias, eu que sou rata de Youtube tenho visto muitos canais sobre gordofobia, gente gorda, amor-próprio, auto-estima.

Foi até assustador perceber o quanto estamos sempre aprendendo né?

Tanta gente nesse mundo, tanta gente de todas as cores, formatos, alturas e somos todos humanos. Então achei bacana divulgar 3 canais que mais assisti aqui e com os quais tenho aprendido muito.

Nós somos suficientes!

O post de hoje vai ser curtinho mas se você tiver a chance de ver algum desses vídeos das meninas tenho certeza que vai aprender muito

https://www.youtube.com/channel/UC2LQ5jMieMZjb5k5Gprp2JQ -> Alexandrismos

https://www.youtube.com/channel/UCVEVuanoMK9tGclfWLghaKw -> Tá querida

https://www.youtube.com/channel/UClCrqmyQkVlQO9SJA3MZ0kA -> Barbara Cavalcante

 

Vale a pena mesmo!

 

 

Olá olá leitores e leitoras

Hoje venho aqui falar dessa família que sempre produz novos conteúdos para tudo que é tipo de site de notícias de entretenimento.

Não vou contar a história delas inteira pelo simples fato da família ser enorme e elas estarem na mídia há anos. É literalmente impossível to keep up with them.

Maaaas se você mora no planeta Terra você já ouviu falar de Kim Kardashian, Kylie Jenner, Caitlyn Jenner e todos os outros. Ontem, dia 18 de abril de 2017 estreou a nova temporada de “Keeping up with the Kardashians” no E!

Lógico que eu e Thaise assistimos e comentamos durante o episódio inteiro tudo. O foco do episódio foram as lojas Dash que as irmãs Kardashians possuem em Miami, Los Angeles e NY. Elas começaram a trabalhar com essas lojas, foi o primeiro grande projeto delas se não me engano. Khloe e Kim K querem vender as lojas para uma loja de departamento já que elas não tem mais tempo de cuidar e dar a atenção necessária, porém Kourtney não quer vender de jeito nenhum por motivos sentimentais mesmo. Não sei que fim levou isso, mas gerou bastante discussão entre as irmãs.

Tivemos também Khloe cada segundo com um cabelo diferente, chegava a dar nervoso. Tipo, a gente sabe que você usa aplique mas cada frame ela era uma nova pessoa.

No próximo episódio vai ser mostrado o que rolou em Paris quando entraram no quarto da Kim e colocaram uma arma na cabeça dela, o que deve ter sido assustador com certeza. Saiu em tudo que é site mas no episódio será contado pela própria Kim K.

Com certeza essa temporada vai bombar, assim como todas e as Kardashians continuarão sendo as rainhas do E!

E você? Gosta do reality? Ama odiar? Odeia amar?

Ficou curioso? Terça que vem as 23h no E!

beijos beijos

Natalie