12/01/2020

Fala pessoal! Tudo bem? Sei que eu estava um pouco sumidinha daqui, porém 2020 começou e com isso muitas metas, não é mesmo?

Queria explicar que um dos motivos pelos quais me ausentei um pouco daqui do blog é o fato de eu estar fora do Brasil fazendo um mestrado em Arts Management. É bem interessante, e de repente eu até escrevo um pouco sobre a experiência aqui.

Porém, todavia, entretanto, eu estava num mínimo recesso de fim de ano e decidi descansar e ver Netflix, pois era tudo que eu precisava nesse momento. Numa das minhas pesquisas netflíxicas eu encontrei um reality show chamado “Glow Up”, e eu devorei os episódios.

O reality se trata sobre maquiagem. A gente ama pouco, né? Os participantes são julgados por Val Garland e Dominic Skinner, Global make-up Director da Loreal Paris e Global Sênior Artist da MAC, respectivamente e realizam provas intensas de make que vai desde fazer um challenge pra social media até efeitos especiais em filmes de Hollywood.

Eu achava que mandava bem em make, mas vendo esse reality tive uma outra visão. Não de eu achar que eu sou ruim, mas de perceber que maquiagem é realmente uma arte.

Tinham desafios em que os participantes precisavam criar na hora uma maquiagem e tinham quase 3 horas pra fazer e eu ficava chocada com os resultados.

Um dos episódios que mais gostei foi o de West End. Os participantes precisam maquiar os atores de “Kinky Boots”, um musical que eu adoro! Então além de mostrar todo o backstage, ainda dá pra ver como é literalmente um trabalho que você precisa respeitar. Há um profissional que criou aquele look do personagem e precisa haver um respeito ao recriar aquela maquiagem. Muito bom! Como amante de musicais e de make, eu fiquei babando!

Outro momento legal foi quando Nikkie Tutorial foi a jurada convidada e o desafio foi sobre social media. Dá pra ver o trabalhão que dá cuidar de um canal do Youtube e produzir conteúdo de maquiagem. Eu achei genial, me deu vontade de largar tudo e ir estudar maquiagem.

Se você ficou interessado, checa no Netflix essa preciosidade e comenta o que achou.

Vamos nos ver mais esse ano hein! Meta 2020!

Mil bjos e um EXCELENTE início de década.

Nat

Tags:
06/09/2017

Ontem foi a estréia de Life of Kylie no canal E!. Lógico que nós acompanhamos.

Confesso que não fiquei nem um pouco impressionada com nada. Já na introdução vi a pegada deles para este reality.

Diferente de sua irmã mais velha, Kim kardashian, Kylie é mais “na dela”. Ela sempre diz que não nasceu pra essa vida, que queria ter uma vida normal, que não sabe o que é sair na rua e não ter gente gritando o nome dela e tirando fotos. Eu imagino o caos que deve ser viver desse jeito, e também entendo o fato de que ela nasceu nesta família, cresceu em frente as câmeras e quando viu, boom! Era conhecida em lugares do mundo que nem sabia que existia.

A idéia do reality é justamente mostrar isso, esse lado dela. Ela mesmo diz que foi colocada nessa vida, mas assume responsabilidade quando fala que ela se aproveita disso. Ela se mantém relevante o tempo todo nas redes sociais etc. Se ela quisesse se manter mais isolada, talvez fosse diferente. Disse ela que faz isso pela marca dela Kylie Cosmetics. Não sabemos….

Confesso ter achado os dois episódios bem fraquinhos. Mostra que ela tem tempo livre demais para fazer nada, enquanto ganha milhões ao mesmo tempo. Muitos queriam ter a vida dela obviamente, mas ela fala uma coisa legal: mesmo ela tendo dinheiro para comprar o carro e a casa que quiser, ela se sente realmente feliz quando pode agir como uma menina de 19 anos normal.

Teve uma cena dela e da amiga na praia que foi ridiculamente patética, foi pra sensibilizar a garotada e deixar Kylie com uma imagem mais acessível vamos dizer. Ela até que parece ser bem gentil e acho isso de todas as irmãs, que de fato, sou fã. Mas o programa das irmãs é bem mais interessante.
Pode ser que eu já esteja saturada de Kardashians e Jenners e por isso esse sentimento, mas a verdade é que elas não vão sumir tão cedo. Em alguns anos inclusive tenho certeza que teremos reality da geração mais nova mostrando North, Saint, Mason, Penelope, Rain e Dream vivendo suas vidas. Escreve o que estou dizendo.

De qualquer forma, pra você que achou interessante, o programa passa as terças feiras, 22h no canal E! São dois episódios de meia hora cada e quando acabar você vai estar com a sensação estranha de que quer e não quer a vida dela.

Se minha colega Thaise quiser escrever sobre também, fique a vontade.
E vocês? Ficaram curiosos? Compartilhem aqui!

Vem conferir esses também!
    02/08/2017

    Vim falar hoje de um reality bem famoso nos Estados Unidos e aqui, chamado Little Women L.A. Aqui no Brasil se chama Pequenas grandes mulheres.

    É um programa que mostra a vida de mulheres de estatura pequena e como é o cotidiano delas. Típico reality show, que de reality não tem nada. A série bombou tanto que já existem vários spin-offs dela como Little Women NY, Little Women Atlanta e o mais recente: Little Women Dallas, que também estou amando.

    Ontem estreou a nova temporada no Lifetime aqui no Brasil e adorei! Fiquei um pouco impressionada com o fato de que praticamente todas elas tiveram filho e estão com problemas de saúde, mas fora isso, continuam as mesmas.

    As “personagens” são Terra, que acredito eu que é a produtora da série e pelo jeito um dos nomes mais conhecidos na comunidade de pessoas pequenas dos EUA. Tonya, melhor amiga de Terra, tem uma filha de estatura average. Brianna, a mais baixinha de todas, Elena, uma russa que se casou com um americano e que hoje eles tem dois gêmeos, entre outras…
    A idéia do reality é bem bacana, pois mostra a realidade dessas mulheres e homens também, e como nosso mundo não é preparado para pessoas pequenas. Também mostra que elas têm vida normal, vida sexual normal com pessoas pequenas ou não, e tem filhos pequenos ou não.
    Super indico a série. Passa as 22:50 no Lifetime e é legal pra abrir os olhos um pouco pro mundo.

    A única coisa que eu mudaria é o fato delas brigarem tanto. É briga demais por coisa de menos, mas pelo jeito o público curte, pois todos os spin-offs apostam nas tretas também. Não sei se elas querem provar que podem ser fortes, aí acabam valorizando demais as brigas. De qualquer forma, é um entretenimento.

    Fica a dica da semana.
    um bjo!

    Vem conferir esses também!
    19/04/2017

    Hoje venho aqui falar dessa família que sempre produz novos conteúdos para tudo que é tipo de site de notícias de entretenimento.

    Não vou contar a história delas inteira pelo simples fato da família ser enorme e elas estarem na mídia há anos. É literalmente impossível to keep up with them.

    Mas se você mora no planeta Terra você já ouviu falar de Kim Kardashian, Kylie Jenner, Caitlyn Jenner e todos os outros. Ontem, dia 18 de abril de 2017 estreou a nova temporada de “Keeping up with the Kardashians” no E!

    Lógico que eu e Thaise assistimos e comentamos durante o episódio inteiro tudo. O foco do episódio foram as lojas Dash que as irmãs Kardashians possuem em Miami, Los Angeles e NY. Elas começaram a trabalhar com essas lojas, foi o primeiro grande projeto delas se não me engano. Khloe e Kim K querem vender as lojas para uma loja de departamento já que elas não tem mais tempo de cuidar e dar a atenção necessária, porém Kourtney não quer vender de jeito nenhum por motivos sentimentais mesmo. Não sei que fim levou isso, mas gerou bastante discussão entre as irmãs.

    Tivemos também Khloe cada segundo com um cabelo diferente, chegava a dar nervoso. Tipo, a gente sabe que você usa aplique mas cada frame ela era uma nova pessoa.

    No próximo episódio vai ser mostrado o que rolou em Paris quando entraram no quarto da Kim e colocaram uma arma na cabeça dela, o que deve ter sido assustador com certeza. Saiu em tudo que é site mas no episódio será contado pela própria Kim K.

    Com certeza essa temporada vai bombar, assim como todas e as Kardashians continuarão sendo as rainhas do E!

    E você? Gosta do reality? Ama odiar? Odeia amar?

    Ficou curioso? Terça que vem, 23h no E!

    Vem conferir esses também!