Fala pessoal! Espero que estejam todos bem!

Hoje vim falar de um documentário lançado no Disney + chamado “Into the Unknown- the making of Frozen II”. É bem curtinho, com apenas 6 episódios, e eu acabei hoje.

O documentário mostra todo o trabalho que dá fazer um filme de animação da Disney. Tem entrevista com o elenco, compositores, diretores, animadores, produtores e por aí vai. A cada episódio eu ficava mais impressionada com a trabalheira que dá pra fazer um filme desses. O documentário mostra o processo todo, desde o roteiro e composição das músicas até a estréia pro público. Além disso mostra um pouco da vida pessoal dos envolvidos.

As partes que me deixaram arrepiada, sem dúvida, são as partes em que os atores gravavam as vozes e quando a orquestra gravava as músicas. Que coisa linda! Eu também adorei ver um pouco mais do processo e conhecer o rostinho das pessoas que trabalham nos bastidores.

Uma coisa que eu sempre fico impressionada é com o poder de magia que a Disney tem. No último episódio mostra a estréia com direito a tapete vermelho e tudo e lógico, Anna e Elsa lá pra receber todo mundo. Não é incrível você trabalhar num lugar desses? A Disney realmente é uma empresa muito especial.

Eu sei que o Disney+ não lançou no Brasil ainda, mas como ainda estou nos EUA tive a oportunidade de já assistir. Assim que lançar no Brasil tenho certeza que as pessoas vão gostar também. Pode ser que tenha versão dublada também nesse caso. De qualquer maneira, eu SUPER recomendo.

Achei uma idéia genial a Disney usar sua plataforma pra lançar um documentário desses, e eu pessoalmente espero que eles lancem outros assim. Pra gente, que ama bastidores, podermos ver de pertinho como é o processo de criar um hit da Disney.

Oi pessoal!

Estou muito feliz de estar fazendo esse post hoje pois finalmente estou com mais tempo livre por conta da minha formatura! Me formei em Arts Management pela George Mason University e eu estou muito realizada com essa vitória!

Mas vamos ao que interessa, né? Tirei aí umas duas semaninhas pós provas finais e apresentações pra descansar porque eu estava simplesmente um caco. O que fazer pra relaxar em plena quarentena? Assistir série! Sim! Decidi assistir coisas que me deixam feliz pois o estresse estava brabo. Então, no meio dessa procura pelo que assistir, acabei vendo uma live com os atores de “Smash”, que é uma série que já acabou há um tempo e eu decidi revê-la. Bom, eu basicamente “comi” a série em três dias.

A série tem apenas duas temporadas e mostra os bastidores da produção de um musical da Broadway. A história apresenta Karen Cartwright, interpretada pela atriz e cantora Katharine McPhee, que está começando na carreira e como muitos, vive fazendo audições. A história mostra também a jornada de Ivy Lynn, interpretada pela atriz Megan Hilty, que ao contrário de Karen já está no meio há um bom tempo e já fez mais de 10 musicais na Broadway, porém sonha em ser a protagonista de um.

Dois renomados escritores de musical, interpretados por Christian Borle e Debra Messing, decidem escrever um musical sobre Marilyn Monroe que vem a se chamar “Bombshell”. A trama segue mostrando o lado pessoal e profissional dos personagens e claro, tem muita música e dança, pois estamos falando de um musical.

A música tema da série chama-se “Let me be you Star”, que é também a primeira do musical “Bombshell”. Boatos que depois de vários concertos de sucesso com as músicas da série, esse musical de fato vai pra Broadway. Muito louco, né? Um musical criado pra TV vai aos palcos de verdade. Tomara! Vou deixar aqui duas músicas pra vocês curtirem. A primeira do espetáculo que chama-se “Let me be your Star” e a que fecha o segundo ato que chama-se “Dont Forget Me”. Espero que gostem!

Vejo vocês no próximo post!

Nat

Oláááááá
como vão?
Vim aqui trazer uma super recomendação de espetáculo!
Estreou no início de Janeiro o musical “Bibi- uma vida em musical”, que conta a história da pequena notável Bibi Ferreira.
Bom, eu tive a oportunidade de assistir a própria Bibi, que sim, está viva, no palco do Oi CasaGrande. E agora tive a oportunidade de ver a linda Amanda Acosta dando vida a Bibi. E ela está fazendo um trabalho lindíssimo.

Assisti ao musical dia 4 de janeiro de 2018 numa sessão, que na verdade ainda era um ensaio aberto, mas já estava perfeito. Gostei muito do roteiro, das músicas é claro. Legal falar que todas as músicas cantadas por Bibi nos espetáculos estão lá. Nem preciso dizer que minha parte favorita foi o medley de My Fair Lady, musical estreado por Bibi no Brasil, e depois remontado com Amanda Acosta no papel principal. Ou seja, as estrelas se alinharam e agora temos Amanda dando vida a Bibi. Muito doido, né?

O musical está com um Instagram: bibiumavidaemmusical. Vale a pena conferir.

O texto é do Artur Xexéu e Luanna Guimarães. A direção é do Tadeu Aguiar, conhecido por outros trabalhos como “Baby- o musical”, “Next to Normal” entre outros.

Não deixe de assistir! O elenco está incrível, com destaque para o querido Chris Pena no papel de Procópio Ferreira, pai de Bibi.

Essa é a dica da semana. Se você gosta de musicais precisa ver!

Até a próxima

Nat!

Olá
Hoje vim falar de um filme que assisti no final do ano passado e saí encantada! O filme está fazendo muito sucesso e tem como protagonista o talentoso Hugh Jackman! “The Greatest Showman” é imperdível.
Além do Hugh Jackman temos também no elenco o lindo Zac Efron, Zendaya, Michelle Williams entre outros talentos.

O filme conta a história do P.T Barnum ( Jackman ), um cara sonhador que quer ficar famoso com seu show de esquisitices. Mostra a relação dele com a família e como ele teve a idéia de montar seu circo. A história não me chamou tanta atenção, mas a trilha sonora é um tiro atrás do outro! Não sei escolher a melhor música, mas entre as preferidas com certeza estão “Rewrite the Stars”, “A million dreams” e “The other side”.

Todo mundo está amando “This is Me”, que também é maravilhosa e até ganhou Globo de Ouro como melhor canção.

Vale super a pena assistir! Vou deixar aqui linkado as músicas que comentei, mas essa é só uma parte do filme. Vale conferir. Divalogia approves!

To dançando enquanto escrevo isso…bom demais. Se você não é viciada em musicais como eu tudo bem assista mesmo assim!

xoxo

Nat

Olá pessoal
Ontem foi a estréia de Life of Kylie no canal E!. Lógico que nós acompanhamos.
Confesso que não fiquei nem um pouco impressionada com nada. Já na introdução vi a pegada deles para este reality.
Diferente de sua irmã mais velha, Kim kardashian, Kylie é mais “na dela”. Ela sempre diz que não nasceu pra essa vida, que queria ter uma vida normal, que não sabe o que é sair na rua e não ter gente gritando o nome dela e tirando fotos. Eu imagino o caos que deve ser viver desse jeito, e também entendo o fato de que ela nasceu nesta família, cresceu em frente as câmeras e quando viu, boom! Era conhecida em lugares do mundo que nem sabia que existia.
A idéia do reality é justamente mostrar isso, esse lado dela. Ela mesmo diz que foi colocada nessa vida, mas assume responsabilidade quando fala que ela se aproveita disso. Ela se mantém relevante o tempo todo nas redes sociais etc. Se ela quisesse se manter mais isolada, talvez fosse diferente. Disse ela que faz isso pela marca dela Kylie Cosmetics. Não sabemos….
Confesso ter achado os dois episódios bem fraquinhos. Mostra que ela tem tempo livre demais para fazer nada, enquanto ganha milhões ao mesmo tempo. Muitos queriam ter a vida dela obviamente, mas ela fala uma coisa legal: mesmo ela tendo dinheiro para comprar o carro e a casa que quiser, ela se sente realmente feliz quando pode agir como uma menina de 19 anos normal.
Teve uma cena dela e da amiga na praia que foi ridiculamente patética, foi pra sensibilizar a garotada e deixar Kylie com uma imagem mais acessível vamos dizer. Ela até que parece ser bem gentil e acho isso de todas as irmãs, que de fato, sou fã. Mas o programa das irmãs é bem mais interessante.
Pode ser que eu já esteja saturada de Kardashians e Jenners e por isso esse sentimento, mas a verdade é que elas não vão sumir tão cedo. Em alguns anos inclusive tenho certeza que teremos reality da geração mais nova mostrando North, Saint, Mason, Penelope, Rain e Dream vivendo suas vidas. Escreve o que estou dizendo.
De qualquer forma, pra você que achou interessante, o programa passa as terças feiras, 22h no canal E! São dois episódios de meia hora cada e quando acabar você vai estar com a sensação estranha de que quer e não quer a vida dela.

Se minha colega Thaise quiser escrever sobre também, fique a vontade.
E vocês? Ficaram curiosos? Compartilhem aqui
mil bjos
Natalie

Olá pessoal
Primeiramente desculpa por não ter postado nada nas últimas duas semanas, foi uma época corrida na minha vida e não tive tempo de me dedicar aos posts do blog. Mas a Tatá deu conta do recado rs.
Vim falar hoje de um reality bem famoso nos Estados Unidos e aqui, chamado Little Women L.A. Aqui no Brasil se chama Pequenas grandes mulheres.
É um programa que mostra a vida de mulheres de estatura pequena e como é o cotidiano delas. Típico reality show, que de reality não tem nada. A série bombou tanto que já existem vários spin-offs dela como Little Women NY, Little Women Atlanta e o mais recente: Little Women Dallas, que também estou amando.
Ontem estreou a nova temporada no Lifetime aqui no Brasil e adorei! Fiquei um pouco impressionada com o fato de que praticamente todas elas tiveram filho e estão com problemas de saúde, mas fora isso, continuam as mesmas.
As “personagens” são Terra, que acredito eu que é a produtora da série e pelo jeito um dos nomes mais conhecidos na comunidade de pessoas pequenas dos EUA. Tonya, melhor amiga de Terra, tem uma filha de estatura average. Brianna, a mais baixinha de todas, Elena, uma russa que se casou com um americano e que hoje eles tem dois gêmeos, entre outras…
A idéia do reality é bem bacana, pois mostra a realidade dessas mulheres e homens também, e como nosso mundo não é preparado para pessoas pequenas. Também mostra que elas têm vida normal, vida sexual normal com pessoas pequenas ou não, e tem filhos pequenos ou não.
Super indico a série. Passa as 22:50 no Lifetime e é legal pra abrir os olhos um pouco pro mundo.
A única coisa que eu mudaria é o fato delas brigarem tanto. É briga demais por coisa de menos, mas pelo jeito o público curte, pois todos os spin-offs apostam nas tretas também. Não sei se elas querem provar que podem ser fortes, aí acabam valorizando demais as brigas. De qualquer forma, é um entretenimento.

Fica a dica da semana
um bjoooooo
Nat

O filme da Mulher Maravilha estreou e é tudo o que a gente esperava e mais um pouco! A heroína mais famosa do Universo DC, que teve sua primeira aparição na superprodução Batman vs Superman, ganhou seu próprio filme e deixou o homem morcego e o homem de aço no chinelo. Na minha humilde opinião, é o melhor filme da DC desde o Cavaleiro das Trevas (sorry, Superman, mas é verdade).

Acho que o filme, que também é dirigido por uma mulher, Patty Jenkins, teve ainda mais sorte por ser lançado em uma época em que o empoderamento feminino fervilha. Mas sem tirar o devido merecimento da produção, é claro. E o que falar de Gal Gadot?? Se em Bat X Sups ela já estava MARAVILHOSA – não tem como descrever essa mulher com outra palavra -, nesse filme ela está mais que incrível. Gal não tenta encarnar a Mulher Maravilha, ela simplesmente é. Girl crush total!

Sem dar spoilers, o filme conta a origem de Diana Prince/ Mulher Maravilha, e um pouco de sua história ao lado do capitão Steve Trevor (Chris Pine). O enredo é envolvente, inteligente, sério e engraçado na medida certa. E como não podia ser diferente, é um tapa na cara do machismo. Claro que o filme tem uns probleminhas de roteiro, mas nada que prejudique muito a narrativa. Só sei que saí do cinema MARAVILHADA, e ansiosa para assistir novamente. Girl Power!

E você já assistiu?!

Gal Gadot 4ever <3

Olá pessoas!
Acabei de ver o vídeo que a Ashley Tisdale postou no canal dela e vim correndo escrever aqui porque fiquei muito emocionada.
Nunca falei aqui no blog mas eu era e ainda sou MUITO fã de High School Musical. Conheci o filme em 2005 por uma amiga que tinha visto nos EUA. Assim que o filme estreou aqui virou febre, não teve jeito. Em 2006 eles lançaram o segundo filme e me lembro perfeitamente de acompanhar todos os making of até o dia que estreou nos EUA. E só iria estrear no Brasil um século depois. Consegui ver ilegalmente e lembro como se fosse ontem o meu entusiasmo. Disney + Musical = Nat apaixonada e viciada. Em 2008 quando estreou o terceiro e último filme fui na estréia, chorei, sorri, cantei….olha….tenho muitas memórias maravilhosas por causa desse filme. Sem falar que em 2007 eu fui ao show em SP. Sim, óbvio que eu fui! E foi um dos melhores dias da minha vida.

Contei todo o processo do meu vício com HSM e agora posso falar do vídeo que Ashley postou finalmente. Se você vive em outro planeta talvez não saiba que ela interpretou Sharpay Evans junto com meu amor Lucas Grabeel, que interpretava seu irmão gêmeo Ryan. No primeiro filme eles cantam a música “What Ive been looking for” numa audição e tinha toda uma rotina de dança e tal. No show eles cantavam a música também fazendo a coreografia e tudo e claro que eu sabia de cor.
No vídeo de agora o arranjo tá bem diferente, mas só de ver os dois juntos novamente dá um aperto no coração, um frio na barriga. Saudades dos meus 15 anos.

Pra você que não viu, deixo aqui o vídeo deles. Enjoy!